Dor crônica – tudo a respeito

Todos os indivíduos já sentiram algum tipo de dor, seja ela frequente ou repentina. Na verdade, a dor é uma reação essencial do sistema nervoso que auxilia a alertá-lo para prováveis males. No momento em que acontece um machucado, os sinais de dor viajam da área danificada até a medula espinhal e para o seu cérebro.
A dor em geral se torna mais leve ao passo que a lesão se cura. Apesar disso, a dor crônica se difere da dor comum. Com dor crônica, seu corpo continua a emitir sinais de dor para seu cérebro, mesmo após uma lesão curar-se. Isto pode persistir variadas semanas ou até anos. A dor crônica pode limitar sua mobilidade e diminuir sua flexibilidade, força e intensidade. Isso é capaz de complicar a prática de tarefas e atividades do dia a dia.
A dor crônica é estabelecida como a dor que abrange ao menos doze semanas. A dor tem probabilidade de ocasionar uma sensação de queimação e incômodo nas regiões afetadas. É capaz de ser frequente ou intermitente, surgindo e desaparecendo sem nenhum motivo aparente. Dor crônica pode ocorrer em quase qualquer parte do seu corpo. A dor pode parecer diferente nas muitas regiões atingidas.

Modelos mais usuais de dor crônica

Entre os tipos mais comuns de dor crônica estão as dores de cabeça, dor pós-cirúrgica, dor pós-trauma, dor na área lombar, dor ocasionada por câncer, dor de artrite, dor neurogênica (dor causada por danos nos nervos), dor psicogênica (dor que não é gerada por doença, lesão ou dano nervoso).

Causas da dor crônica

Resultado de imagem para chronic painA dor crônica normalmente é causada por uma lesão inicial, como uma entorse muscular. Presume-se que a dor crônica se expande logo após que os nervos se danificam. O dano do nervo deixa a dor mais aguda e resistente. Nesses casos, o tratamento da lesão subjacente é capaz de não resolver a dor crônica.
Em certos casos, ainda assim, os indivíduos vivenciam dor crônica sem nenhuma lesão anterior. As causas exatas da dor crônica sem lesão não são bem compreendidas. A dor vez ou outra pode ser resultado de uma condição de saúde subjacente, como:
Síndrome de fadiga crônica: identificada por cansaço extremo e prolongado que várias vezes é acompanhado por dor;
Endometriose: um distúrbio doloroso que acontece quando o invólucro do útero cresce fora do útero;
Fibromialgia: dor espalhada nos ossos e músculos;
Enfermidade inflamatória intestinal: uma série de condições que gera infecção dolorosa e crônica no trato digestivo;
Cistite intersticial: uma doença crônica marcada pela pressão e dor na bexiga;
Disfunção da articulação temporomandibular: uma condição que causa um clique doloroso, estalando ou bloqueando o maxilar.

Quem está em risco de sentir dor crônica?

A dor crônica é capaz de afetar indivíduos de qualquer idade, contudo é mais habitual em adultos mais velhos. Além da idade, outras razões que podem aumentar seu risco de desenvolver dor crônica incluem, como ter uma lesão, ter passado por uma cirurgia, ser do sexo feminino ou encontrar-se com sobrepeso.

Como é tratada a dor crônica?

tratamento-dor-cronica O principal intuito do tratamento é minimizar a dor e melhorar a flexibilidade. Isto ajuda o enfermo a voltar às atividades cotidianas sem problemas.
A seriedade e a frequência da dor crônica são capazes de alternar entre os seres humanos. Então, os médicos criam planos de gerenciamento de dor adequados para cada pessoa. O plano de gerenciamento de dor dependerá de seus sintomas e outras situações de saúde subjacentes. Tratamentos médicos, remédios e modo de vida, ou uma combinação destes métodos são capazes de ser utilizados para tratar a dor crônica.

Alívio da dor crônica

Além dos remédios que carecem de ser sugeridos por um clínico, certos procedimentos, que inclusive têm de ser feitos com a dica de um profissional da área de saúde, podem proporcionar alívio da dor crônica. Determinados deles são a estimulação elétrica, o que reduz a dor ao enviar choques elétricos leves aos músculos; obstrução do nervo, que é uma injeção que impede os nervos de enviar sinais de dor para seu cérebro; acupuntura, que consiste em picar ligeiramente sua pele com agulhas para amenizar a dor; cirurgia, que corrige machucados que podem ter cicatrizado indevidamente e que são capazes de estar contribuindo para a dor.

Alternativas de modo de viver para dor crônica

Além disto, diversificadas opções não convencionais, vinculadas ao modo de viver, estão acessíveis para ajudar a abrandar a dor crônica, como por exemplo fisioterapia, Tai Chi, yoga, artes e terapia musical, tratamento com bichos domésticos, psicoterapia, massagens e meditação.

O que provoca essa dor?

A dor procede de um sinal enviado de seus nervos para o seu cérebro. Pode prestar como um alarme, um aviso – que você está pisando em um alfinete ou tocando em um fogão quente. Mas, às vezes, os sinais seguem sendo enviados para o cérebro e a dor prossegue. É quando torna-se dor crônica.

Sintomas que a dor virou dor crônica

Qualquer indivíduo com dor frequente ou diária – mesmo leve – tem que consultar um clínico. Isto serve se a dor interfere em suas atividades, se tornando limitador de vida ou a capacidade de trabalhar. Tenha em mente que a dor crônica pode se desenvolver em você. O que principia como súbito e desconfortável é capaz de, ao longo dos anos, se tornar sério e enfraquecedor.

Caminhar auxilia a aliviar a dor crônica

Andar mais é uma das melhores prescrições que temos para auxiliar a abrandar a dor crônica. A dor crônica tende a tornar as pessoas menos ativas e, certas vezes, agrava o quadro. O exercício inclusive expele endorfinas – os analgésicos naturais do corpo. Se empenhe para passear – ou fazer outros exercícios – cinco vezes por semana, no decorrer de trinta minutos por dia. Comece devagar e vá inserindo certos minutos toda semana.

 

Dor crônica e acupuntura

A acupuntura é um tratamento comum para qualquer dor crônica. Por que as agulhas na pele ajudam? Ninguém está efetivamente certo disto, porém a acupuntura é capaz de auxiliar a soltar analgésicos naturais no corpo ou bloquear sinais de dor feitos pelo sistema nervoso.

Dor crônica e sono

Não apenas a dor é capaz de dizimar seu repouso, mas não adormecer o bastante é capaz de fazer a dor crônica piorar no dia seguinte. É um ciclo vicioso. Caso a dor esteja atrapalhando o sono, fale com seu médico. Desenvolver excelentes hábitos de dormir – incluindo preservar horário habitual para se deitar – ainda pode ajudar.

Procure se esquecer da dor crônica

Vez ou outra pensamos em distração como uma coisa desagradável, que impossibilita que você realize as coisas. Contudo é capaz de ser realmente um tratamento caso você tenha dor crônica. Os estudos evidenciam que, quando você está entretido – por uma conversa, ou por uma palavra cruzada, ou por um jornal – as regiões cerebrais que processam a dor ficam mais inativas. Desligar sua mente da dor, realmente, ajuda – mesmo em um nível neurológico.

Alívio da dor crônica e variações na alimentação

O alimento poderia acometer sua dor? É possível. Pessoas com enxaqueca, em algumas ocasiões, acham que alimentos próprios – como o vinho tinto e queijos – provocam os ataques de dor. Carnes gordurosas ou laticínios são capazes de agravar a dor da artrite inflamatória. Mantenha um diário de alimentos por algumas semanas para ver se algum alimento parece elevar sua dor. Em seguida, elimine esses alimentos da sua dieta e analise se seus sintomas melhoram.

Respirar fundo pode ajudar a amenizar a dor crônica

Gaste um minuto para respirar profundamente e vagarosamente. Bote sua mão em sua barriga e sinta o abdômen subir e descer. Após alguns minutos de respiração intensa, você pode sentir qualquer dor e tensão amenizarem. O bom em respirar intensamente como um tratamento contra a dor é que você pode fazer isto em qualquer lugar – no momento em que você está preso num congestionamento ou em sua mesa de trabalho.

Treinamento de força contra a dor crônica

Fortalecer a musculatura – com pesos ou exercícios de resistência – é capaz de minimizar a dor com a mesma eficácia de várias drogas para dor lombar e artrite. O enrijecimento muscular ainda aperfeiçoa seu equilíbrio e flexibilidade. Os exercícios para os músculos precisam ser realizados, ao menos, duas vezes por semana.

Uso de suplementos para dor crônica

Pergunte ao seu médico sobre suplementos para dor diária. Estudos mostram que certos parecem ajudar. O óleo de peixe, a glucosamina, o sulfato de condroitina podem ajudar com as articulações rígidas e artrite.

Procure não ficar de cama por muito tempo

Nos velhos tempos, os indivíduos tratavam a dor com repouso. Agora, os médicos dizem que, ao passo que um pequeno descanso é permitido depois de uma nova lesão – como uma torção de tornozelo -, este descanso não auxiliará com dor crônica. Deitar no sofá por muito tempo enfraquecerá os músculos e é capaz de piorar a dor. Ao invés disso, tente preservar-se ativo.

Dor crônica – tudo a respeito
Avalie esta postagem

Deixe uma resposta